07/11/2012

Amor de Menino


        Sonia Salim

Dengoso menino
Onde está você?
Desistiu da vida
Ou está brincando
De esconder?
Moleque peralta
Das belas letras
Que alimentava
Amor inocente
Onde está você?
Venha conversar
Abrir a sua alma
Engajar no sono
Embalar na rede
Leia para mim
O livro da vida
No asfalto duro
Infiel e escuro
Venha, menino
Deite-se aqui
Quero acariciar
O seu coração
A dor é saudade
E não tem idade


Imagem de Sonia Salim


8 comentários :

  1. Lindo, Sonia! Quantos gostariam de ouvir e de sentir essas palavras. Parabéns, sempre.

    ResponderExcluir
  2. Sonia! O que disse o teu leitor Ivan, eu pensei também: quantos - inclusive eu - gostariam de ouvir estas palavras! Amada Sonia, eu encontrei-me nessas tuas palavras! Beijos e abraços apertados.

    ResponderExcluir
  3. Que graça, Sonia! Um poema cheio de afeto, adorei, bjosss

    ResponderExcluir
  4. Sonia,
    como sempre vc arrasa na dança das palavras. Ficaram lindas.
    beijos
    adriana

    ResponderExcluir

  5. O que houve com o menino? Ele se foi?
    Agora me deu curiosidade em saber... Será que, em outro poema, você conseguiria descrever o que seu coração poderia compor além desse ponto, como visão própria ou como resposta do menino?
    Isso não é um desafio, mas uma oportunidade para você nos apresentar um pedacinho a mais do seu poder de criação.
    Lindo poema, Madrinha Sonia! Gostei de ler e até me senti no colo da protagonista.
    Beijão pra você!

    ResponderExcluir
  6. Esse menino peralta
    Que ora pula
    Ora chora
    Ora canta
    Ora amola
    Ressurge hoje em meu coração,
    No teu
    E no daqueles que acreditam no amor

    Venha menino compor
    A saúde
    A vida
    O calor...


    Parabéns pelo lindo poema, #ostra querida. Como sempre, é uma explosão de emoções visitar o seu blog; que, desta vez, traduziu-se em poema. Apesar de simples e sem esmero, surgiu de repente, vindo do coração, como inspiração poética e não deu pra não registrar. Bjão! :)
    @Fitoplancton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fito, ontem eu fui dormir e pensei em você, na falta que a sua alegria faz. E hoje, emoção, ao receber teus comentários poéticos.

      Obrigada!Sucesso! Beijos!

      Sonia Salim

      Excluir
  7. O menino não é mais menino? Perdeu a inocência no asfalto duro? Não tem mais quem o embale e o proteja? O menino não tem mais a rede e poderia estar envolvido em outras redes menos saudáveis? Que capacidade, Sonia, traduzir, na minha interpretação, com ternura, a falta de ternura.

    ResponderExcluir

Faço a moderação dos comentários, por isso ao enviar sua mensagem, aguarde pela aprovação. Comentários ANÔNIMOS ou com links NÃO serão publicados. Lembre-se de assinar!

Grata

Sonia Salim