27/08/09

O Menino do Dedo Verde

imagem de internet

*Maurice Druon nasceu em Paris e morreu em abril de 2009, era bisneto do escritor, jornalista e político maranhense Odorico Mendes.
*
É uma leitura emocionante que transmite ensinamentos valiosos que podem ser observados por pessoas que conseguem ver além das aparências. Deixarei aqui a minha visão ligada à vida prática, é assim que faço nas leituras, no convívio social, na observação da natureza e a cada momento de aprendizagem. Ocorre mudanças dentro de nós quando podemos aprender certos conceitos e deixar que eles façam parte do nosso dia a dia.
Quero começar dizendo que:
- Todo jovem deve ler este livro, principalmente aquele que está escolhendo uma carreira, uma profissão.
- Os pais devem ter em mente que seu filho é um ser único, especial e como tal deve ser tratado, nunca devem impor uma profissão a eles.
-Os pais de Tistu tinham em mente que o menino seguiria a profissão que a família mantinha há séculos, o que é um grande erro, porque as pessoas são diferentes.
-E quanto à escola? Será que ela está preparada para receber crianças com tanta diversidade de dons? Será que os alunos considerados rebeldes, insuportáveis ou sonolentos, são assim porque estão evidenciando um sistema de educação inadequado? Que tipo de aluno a escola aprova? O que será daqueles que não se enquadram nos moldes do sistema educacional?
"Prezado Senhor, o seu filho não é como todo mundo. Não é possível conservá-lo na escola"
"Mas que decepção! A escola produziu em Tistu um resultado imprevisível e lamentável."
- O pai de Tistu era amoroso, tomando conhecimento de que o filho não era como todo mundo tratou de inventar um novo sistema de educação.
"A vida, afinal, é a melhor escola que existe. Vamos ver o resultado!"
A era da informática tornou o conhecimento acessível a todos ou a uma grande parte da população. A escola não é detentora do saber, é um lugar de enriquecimento, troca de experiências, por esse motivo ela precisa estar inovando para acompanhar os avanços que surgem em velocidade relâmpago.
- O jardineiro Bigode foi o professor que descobriu o talento de Tistu, para um aluno diferente um mestre de olhos atentos, de sensibilidade.
"- O polegar verde é invisível. A coisa se passa por dentro da pele: é o que se chama um talento oculto. Só um especialista é que descobre. Ora, eu sou um especialista. Garanto que você tem polegar verde."
Esta é uma das partes mais lindas do livro, que emociona, que evidencia a importância do educador na vida do aluno, da criança, do jovem, ou até daquele que não é tão jovem, mas está na escola porque não pôde fazer no tempo ideal. O jardineiro professor, Sr. Bigode, tem a delicadeza, o olhar atento, o conselho certo e o amor pela profissão, por isso encantou Tistu. Mestres, quantos deles temos pela vida, anônimos e que exerceram a profissão com carinho e dignidade? Milhares...
- O Sr. Trovões era, sem dúvida um grande educador mas, a rigidez não o deixava enxergar o talento de Tistu, por isso suas avaliações eram duvidosas.
"É preciso vigiar de perto este menino; ele pensa demais!"
"Menino distraído e raciocinador. Os sentimentos generosos privam-no do senso da realidade."
A postura explosiva do Sr. Trovões deixava espaço a uma grande afeição em consequência da vivência cotidiana, ele se afeiçoara a Tistu e já não conseguia deixar de vê-lo. Isso acontece na realidade com alunos que contestam os assuntos em sala de aula, podem até dar novos rumos e trazer direcionamento ao trabalho do professor. Foi o que aconteceu com o Sr. Papai, deu novos rumos ao seu negócio, veio mudar completamente a direção da fábrica e até o nome da cidade foi trocado.
-A equipe que trabalhava com o Sr. Papai era muito unida, até a Dona Mamãe andava em consonância com as atitudes daquele que comandava a Casa-que-Brilha. Isso é essencial para que as coisas aconteçam de maneira equilibrada e tenha êxito. Transformar a fábrica de canhões em fábrica de flores foi uma decisão sábia, diríamos que o Sr. Papai percebeu a urgência da mudança, só pessoas sensíveis deixam toda uma tradição, "ideias pré-fabricadas", para seguir suas próprias inclinações. Sabedoria é uma boa opção em tempos difíceis. Além do mais, o desenvolvimento sustentável é tema urgente e precisa ser vivenciado.
- Outra parte que emociona é quando Tistu aprende sobre a guerra.
"Bem que eu pensava que a guerra era uma coisa horrível, disse Tistu consigo mesmo. Pois a gente pode perder um país como quem perde um lenço."
"Afinal a guerra é uma espécie de tiririca que se espalha pelo globo... Com que espécie de plantas poderíamos combatê-las?"
*
Jardineiro? Botânico? Paisagista? Não sei. Mas o destino de Tistu seria brilhante se ele não fosse quem era.
*
Quem sugeriu a leitura? Professora Wilza Maria.
*
Quem tocou os tambores e fez barulho para que a leitura fosse urgente? Professora Eloisa Helena.
*
Todo o comentário eu dedico ao bem humorado Biólogo Fábio Bastos
*

16 comentários :

  1. Tenho já a certeza de que vai amar texto. É impossível que alguém com a sua delicadeza não se encante com Tistu! Mais Tistus houvesse no mundo e a mudança seria feita!
    Boa leitura!

    ResponderExcluir
  2. Faço minhas as palavras de Eloisa.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Eloisa e Wilza, vocês são excelentes incentivadoras, eu não resisti a curiosidade e estou iniciando a leitura. Que tal discutirmos depois?
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Ler seus comentários foi tão enriquecedor quanto ler o livro.Uma verdadeira aula!
    Voltarei mais aqui, quando meus colegas de clubinho terminarem a leitura e discussões. Obrigada , Sonia!Parabéns pelos sábios comentários!
    Eloisa Helena

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, Eloisa, eu tenho certeza que você abordará assuntos novos e interessantes como também receberá contribuições valiosíssimas do clubinho de leitura. Este livro tem uma imensidão de ensinamentos. Volte sempre , é uma alegria a sua presença. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Soninha, como fiquei feliz em visitar seu blog e saber que amiga talentosa eu tenho!Seu parecer sobre este livro é emocionante e real. Estamos vivenciando nas nossas vidas dentro da escola, partes desta história, avaliamos alunos nem sempre por sua capacidade de entendimento, muitas vezes, não os ouvimos, não deixamos que conte-nos o que estão vivendo, suas histórias, avaliamos apenas conteúdos...
    O sistema de ensino teria que passar por uma grande transformação para que os alunos amassem a escola, amassem os livros e amassem seus professores...Parabéns por essa iniciativa tão linda, visitarei sempre seu blog...bjos

    ResponderExcluir
  7. Emocionante é a sua visita, Claudia, só vem trazer vivência e a palavra de quem sente o dia a dia dos jovens, todas as suas ansiedades, conflitos e desejos mais profundos. Às vezes uma palavra muda toda a vida de uma pessoa. Lembra daquele aluno que direcionamos ao jornalismo? Pois é, amiga, precisamos ter a visão do Professor Sr. Bigode, percepção para poder sugerir e apontar que direção a seguir.
    Obrigada pelas palavras carinhosas.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Tia Soninha, que legal este post! Adorei conhecer um pouquinho sobre o livro do menino do dedo verde. Parece ser uma leitura bem enriquecedora. Além disso, foi interessante ler os comentários acima. Será que um dia darei aulas de biologia e vivenciarei essas mesmas experiências comentadas acima? Bjão!!

    ResponderExcluir
  9. É um livro encantador, Fábio, com muita coisa a nos ensinar. A leitura é gostosa com linguagem bem simples, vale a pena conferir. Tenho certeza que você tem o dedo verde e será brilhante em cada situação que vivenciar.
    Sucesso!

    ResponderExcluir
  10. Stella havia me falado sobre o verdadeiro Tistu. rs Vim conferir. É verdade. Ele existe! Tinha que ser da família dos dedos verdes, não é? rs
    Beijos, amiga. Boas leituras, boas semeaduras, boas colheitas! ♥

    ResponderExcluir
  11. Obrigada, Wilza, pela gentileza da visita e comentário no blog. O Fábio é o verdadeiro Tistu da família. Excelente exemplo em tempos de preservação do verde no Planeta. Verdadeiro apaixonado pela vida e estudos de Botânica. O humor também faz parte do currículo dele, isso torna tudo muito mais agradável.
    Você precisa conhecê-lo de perto.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  12. Ah, quanto mimo! Vocês são uns amores! Desse jeito vou ficar mal acostumado... :P
    Obrigado pelo carinho. Fico muito feliz com tudo isso!
    Ah, não tinha percebido ainda a dedicatória no final do post. Tia, estou muito honrado! E grato!
    Bjão!!

    ResponderExcluir
  13. Bem-humorado, amante do verde...é, tinha que ser mesmo da família Salim, ou ou ou...? Bom, de qualquer forma, faz parte da sua árvore genealógica. rs Tudo a ver.
    Oi, verdadeiro Tistu, prazer em conhecê-lo (Lembra-se de algo como: "oi, não sou a Stella." Que mico! rs).
    Sonia, parabéns por seu blogger que está adornado de fotos e fatos muito lindos, adornando realmente a vida e a vinda de quem passa por aqui.
    Beijos amiga. Boa noite! Ou já é bom dia? rs

    ResponderExcluir
  14. Boa Noite, Fábio e Wilza! Os comentários são os maiores adornos do blog porque deixam um pouquinho da amizade daqueles que passam por aqui.
    Obrigada pelo carinho de vocês.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Obrigado pela postagem, meu filho esta vendo um projeto na escola com este tema, então resolvi procurar para saber do que se tratava, amei a sua visão neste tema!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simone, eu tenho certeza que você não vai resistir e tomar parte nesse projeto, mesmo que seja só olhando o seu filho nessa aventura maravilhosa dentro das páginas desse livro. Arriscaria dizendo que “O Menino do Dedo Verde” vai exercer uma paixão em você e atraí-la para a leitura. rs

      Muito grata, querida! Sucesso no trabalho de seu filho!

      Sempre bem-vinda!

      Beijos!

      Sonia Salim

      Excluir

Faço a moderação dos comentários, por isso ao enviar sua mensagem, aguarde pela aprovação. Comentários ANÔNIMOS ou com links NÃO serão publicados. Lembre-se de assinar!

Grata

Sonia Salim